Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2861
Title: Avaliação da influência da coloração na escolha de parceiro reprodutivo no caranguejo Uca leptodactyla Rathbun, 1898 (CRUSTACEA: OCYPODIDAE)
Authors: Silva, Diogo Jackson de Aquino
Keywords: Seleção sexual;visão de cores;Ultravioleta
Issue Date: 10-Jun-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Diogo Jackson de Aquino. Avaliação da influência da coloração na escolha de parceiro reprodutivo no caranguejo Uca leptodactyla Rathbun, 1898 (CRUSTACEA: OCYPODIDAE). 2016. 29 f. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas)- Departamento de Fisiologia, Centro de Biociências, Natal/RN, 2016.
Portuguese Abstract: Muitas características morfológicas, como colorações, surgem em várias espécies como consequência da seleção sexual. Nesse contexto, a visão de cores pode desempenhar um papel fundamental na escolha de parceiros, podendo ter influencia na comunicação intersexual em vários animais, incluindo os crustáceos. Dentre os caranguejos chama-marés, estudos pioneiros com Uca mjoebergi mostram a importancia da visão de cores incluindo luz UV na escolha de parceiro reprodutivo. Porém, são estudos realizados apenas na Austrália, não abrangendo a maioria das espécies de Uca do resto do mundo. No Brasil, não se tem estudos abordando a visão de cores nesses animais, e o Uca leptodactyla se mostra uma espécie com grande potencial devido seu padrão de coloração com reflexão UV. Diante disso, o objetivo desse trabalho é avaliar a preferência da fêmea do chama-maré Uca leptodactyla pela coloração presente no quelípodo hipertrofiado do macho. Com base em mensurações prévias, utilizando-se um espectrofotômetro, foi verificado que a coloração refletida pelo quelípodo hipertrofiado dos machos de U. leptodactyla apresenta picos de reflexão UV, além de picos na faixa de luz visível. Para avaliar a influência das cores na preferencia da fêmea, realizou-se um experimento comportamental, onde vários grupos compostos por 4 machos de diferentes tratamentos (branco sem UV, amarelo sem UV, coloração natural sem UV e coloração natural com UV) foram posicionados em torno da fêmea. Contabilizou-se o tempo para que a fêmea interagisse com um dos machos e a cada escolha ou fuga da fêmea, novas fêmeas eram reposicionadas. Cada grupo de machos foi utilizado até um total de 3 escolhas. Foram utilizados 20 grupos de machos (80 animais) e 206 fêmeas, de forma que apenas 60 fêmeas escolheram um dos machos. Os resultados obtidos mostram que as fêmeas escolhem mais frequentemente, machos de coloração natural (refletindo UV) em detrimento dos machos dos demais tratamentos (sem reflexão UV). Essa preferência pode estar relacionada com a qualidade do macho, já que a reflexão UV poderia indicar uma melhor qualidade genética. Ou simplesmente por aumentar a conspicuidade do macho durante o display reprodutivo. Portanto, é possível que esses animais apresentem dois tipos de fotorreceptores, em que, pelo menos um, seja sensível ao comprimento de onda próximo do ultravioleta, justificando um canal de comunicação de cor importante durante o período reprodutivo.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2861
Other Identifiers: 2012913120
Appears in Collections:Ciências Biológicas (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AvaliaçaoInfluencia_Silva_2016.pdfMonografia811,56 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.