Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2639
Title: Irmandade dos Negros do Rosário de Caicó: Religiosidade & Resistência Sociocultural
Other Titles: Hermandad del Rosario Caico Negro: Religiosidad y Resistencia Sociocultural
Authors: Souza, Hugo Martins de
Keywords: Irmandades Negras;Negros do Rosário;Resistência Sociocultural
Issue Date: 21-May-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Portuguese Abstract: Na eminência dos 250 anos de constituição da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos do Seridó, em 2021, os Negros do Rosário de Caicó permanecem a celebrar a festa de sua padroeira apresentando-se pelas ruas da cidade em seu cortejo real ritmado pela batida dos tambores e pela suavidade do pífano, sons que ditam a coreografia guerreira dos dançarinos/lançadores do espontão (dança de inspiração africana de encenação de uma batalha guerreira em defesa de seu reinado), manifestação sociocultural de genuína beleza criada no período colonial pelos escravos africanos e deus descendentes. A manifestação sociocultural e religiosa dos Negros do Rosário do se constituem uma tradição de fé, beleza e simbolismo sociocultural que se renova a cada ano, consagrado no ato simbólico de coroamentos do rei e rainha (reis do Congo) do Rosário. De toda diversidade de elementos que compõe o complexo mosaico sociocultural africano (afro-brasileiro, particularmente) a religião é certamente um dos mais expressivos aspectos da cultura popular africana cujo processo civilizatório europeu não fora capaz de silenciar. É neste contexto de conflitos e resistências que dispusemo-nos a aprofundar a discussão e debate acerca da compreensão teórica dos mecanismos de resistência sociocultural dos povos africanos e seus descendentes, cuja história fora marcada pelo cativeiro, tendo como objeto de pesquisa o estudo da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos do Seridó, referência de valorização e (re)afirmação da identidade sociocultural dos povos negros, cuja história encontra-se marcada pela ferradura de um dos mais violentos processos de espoliação e negação da dignidade humana, a escravização capitalista europeia de africanos e seu consequente processo de marginalização, exclusão, segregação, discriminação e emparedamento sociocultural e econômico evidenciado logo após a conquista da “liberdade” aos dias atuais.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2639
Other Identifiers: 2014222550
Appears in Collections:CERES - Especialização em História e Cultura Africana e Afro-brasileira

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC - HUGO MARTINS. ESP. HIST. DA CULT. AFRICANA E AFRO-BRAS. -CERES -UFRN - 2016.pdfTCC - Hugo Martins 575,68 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons