Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2366
Title: Avaliação do risco cardiovascular por diferentes métodos no âmbito da atenção primária à saúde
Other Titles: Evaluation of cardiovascular risk by different methods in primary health care
Authors: Sousa, Iasmin Matias de
Keywords: risco cardiovascular, escore de Framingham, atenção primária.
Issue Date: Jun-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUSA, Iasmin Matias De . Avaliação do risco cardiovascular por diferentes métodos no âmbito da atenção primária à saúde. 2016. 38f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Nutrição) - Departamento de Nutrição, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: O crescente número de DCV no mundo torna fundamental o desenvolvimento de estudos que investiguem os métodos de avaliação do risco cardiovascular no âmbito da atenção primária, visando facilitar o diagnóstico através de instrumentos mais acessíveis e rápidos. O objetivo desta pesquisa foi comparar o risco cardiovascular de pacientes adultos e idosos a partir da utilização de duas versões do Escore de Risco de Framingham. O estudo foi do tipo transversal desenvolvido com adultos e idosos atendidos no período de 2002 a 2016 no ambulatório de nutrição da UFRN. Foram avaliados: risco cardiovascular, idade cardíaca e o perfil de marcadores cardiometabólicos (glicemia de jejum, pressão arterial sistólica, colesterol e IMC). Para o cálculo do risco cardiovascular foram utilizados os seguintes dados: idade, sexo, pressão arterial sistólica, uso de medicamento anti-hipertensivo, tabagismo, diabetes, colesterol total e colesterol HDL (método tradicional) ou altura e peso (método simplificado). Foram avaliados 62 indivíduos (masculino n= 17, feminino n=45), idade: 49,1± 12,1 anos, IMC: 32,4± 7,3, pressão arterial: 127,3± 15,7, glicemia: 103,5± 41,0. O risco cardiovascular foi classificado como baixo (<10%), intermediário (10-20%) e alto (>20%). Para verificar as diferenças entre os escores de Framingham tradicional (COL) versus simplificado (IMC) para o risco cardiovascular e idade cardíaca fora utilizado o teste t para amostras independentes, o nível de significância aceito foi de 5%. Não houve diferença estatisticamente significativa entre o risco cardiovascular (p=0,201) e a idade cardíaca (p=0,445) entre os dois métodos. A avaliação do risco cardiovascular em ambos os métodos demonstrou maioria (63% e 58%) com baixo risco para tradicional e simplificado respectivamente. Com isso, é possível concluir que o método simplificado não apresentou diferença com relação à avaliação do risco cardiovascular e estimativa da idade cardíaca quando comparado com o tradicional que utiliza dados bioquímicos, podendo o simplificado ser uma alternativa para avaliação de indivíduos atendidos à nível primário de atenção em saúde por ser rápido, acessível, prático e fidedigno auxiliando na identificação dos indivíduos mais propensos e direcionando-os ao tratamento adequado precocemente.
Abstract: Due to the increasing rate of Cardiovascular Disease (CVD) in the world, it is essential to investigate the methods of evaluation of cardiovascular risk in primary care, in order to facilitate diagnosis through faster and more accessible tools. The aim of this study was to compare the cardiovascular risk of adult and elderly patients by using two different versions of the Framingham Risk Score. The study was cross-sectional and conducted with adults and elderly attended from 2002 to 2016 at nutritional clinic in the UFRN. The cardiovascular risk, heart age and profile of cardiometabolic markers (fasting glucose, systolic blood pressure, cholesterol and BMI) were evaluated. For the calculation of cardiovascular risk, the following data was used: age, sex, systolic blood pressure, use of antihypertensive medication, smoking, diabetes, total cholesterol and HDL (traditional method) or height and weight (simplified method). It was evaluated 62 individuals (male n = 17, female n = 45), age: 49.1 ± 12.1 years, BMI: 32.4 ± 7.3, blood pressure: 127.3 ± 15.7, glucose: 103.5 ± 41.0, attended from 2002 to 2016. Cardiovascular risk was classified as low (<10%), intermediate (10-20%) or high (> 20%). To check the differences between the traditional Framingham score (COL) versus simplified (BMI) for cardiovascular risk and heart age the t test was used for independent samples, with an accepted significance level of 5%. There was no statistically significant difference between the cardiovascular risk (p = 0.201) and heart age (p = 0.445) between the two methods. The assessment of cardiovascular risk in both methods showed the majority (63% and 58%) with low risk for traditional and simplified, respectively. We conclude that the simplified method was not statistically different from the traditional method, thus the simplified method can be used as an alternative for the assessment of cardiovascular risk in patients seen at primary level health care since it is fast, affordable, practical and reliable, and helps to identify the most likely individuals to develop CVD, which allows for the appropriate early treatment.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2366
Other Identifiers: 2011035643
Appears in Collections:Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Avaliaçãoriscocardiovascular_2016_Trabalho de Conclusão de Curso463,75 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.