Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2297
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorKlein, Joel Thiago-
dc.contributor.authorRocha, Ida Carmen de Lima-
dc.date.accessioned2016-06-16T23:25:47Z-
dc.date.available2016-06-16T23:25:47Z-
dc.date.issued2015-01-27-
dc.identifier2010025024pr_BR
dc.identifier.citationROCHA, Ida Carmen de Lima. A sociabilidade insociável na filosofia política de Kant: aspectos no estado de natureza e no estado civil. 2015. 36f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de Filosofia, Departamento de Filosofia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. CD-ROM.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2297-
dc.description.abstractThis paper is a bibliographic research that aims to understand the meaning of social antagonism to the Kantian philosophy. Therefore, it is important to observe and analyze the concept employed by Kant to the human tendency of unsocial sociability, as well as their aspects in the state of nature between men and States in addition to its reflection in a civil state – it is set from the public law institution. According to this philosopher, the asocial sociability is the propensity for the man to sociability – the relations between individuals of the same species - while the unsociability corresponds to the resistance force of the individuals to each other, against the progress motor, since acting an antisocial force, which create ambition, greed and tyranny, preventing the germ progress growing. The unsociability while a driving force of cultural development can be understood as a passion or as an incline, however, a specie moral progress is legitimate when it is understood as a gradient.pr_BR
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectSociabilidade insociávelpr_BR
dc.subjectUnsociable sociabilitypr_BR
dc.subjectAntagonismo socialpr_BR
dc.subjectSocial antagonismpr_BR
dc.subjectFilosofia políticapr_BR
dc.subjectPolitical philosophypr_BR
dc.titleA sociabilidade insociável na filosofia política de Kantpr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Klein, Joel Thiago-
dc.contributor.referees2Dias, Maria Cristina Longo Cardoso-
dc.description.resumoO presente trabalho é uma pesquisa bibliográfica que tem por objetivo compreender o significado do antagonismo social para a filosofia kantiana. Nesse sentido, é importante observar e analisar o conceito empregado por Kant para a tendência humana da sociabilidade insociável, assim como seus aspectos no estado de natureza entre homens e Estados, além do seu reflexo num estado civil – configurado a partir da instituição da lei pública. Segundo o filósofo, a sociabilidade insociável é a propensão do homem para a sociabilidade – o convívio entre os indivíduos da espécie –, enquanto que a insociabilidade corresponde à força da resistência dos indivíduos entre si, ao motor do progresso, uma vez que agindo por forças antissociais, que criam ambição, tirania e ganância, impedem que o germe do progresso dormite. A insociabilidade enquanto força propulsora de um desenvolvimento cultural pode ser entendida como uma paixão ou como uma inclinação, entretanto, só se legitima um progresso moral da espécie quando é compreendida como uma inclinação.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentFilosofiapr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
dc.contributor.referees3Menezes, Antônio Basílio Novaes Thomaz de-
Appears in Collections:Filosofia (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Asociabilidade_Rocha_2015.pdf.txtMonografia versão final477,47 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.