Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2292
Title: Autonomia e movimento operário em Cornelius Castoriadis
Authors: Marques, Alfran Marcos Borges
Keywords: Autonomia;Movimento Operário;Social-histórico
Issue Date: 27-Jan-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MARQUES, Alfran Marcos Borges. Autonomia e movimento operário em Cornelius Castoriadis. 2015. 44f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de Filosofia, Departamento de Filosofia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. CD-ROM.
Portuguese Abstract: A pesquisa consiste em apresentar as noções conceituais e argumentos mais importantes para Cornelius Castoriadis que permitam elucidar o papel da ação política operária na busca pela autonomia coletiva e individual. A partir da delimitação históricoconceitual da reflexão filosófica sobre o desenvolvimento do movimento operário, demonstram-se as principais críticas de Castoriadis dirigidas ao gerenciamento científico da produção, às tendências burocráticas da sociedade contemporânea e à alienação promovida pela ideologia capitalista. Para tanto, é essencial compreender as categorias usadas em todo o seu percurso filosófico: luta implícita, luta explícita, organização operária e contradição fundamental do capitalismo. A relação entre movimento operário e projeto de autonomia torna-se de máxima importância para Castoriadis, o que exige repensar a participação política a partir de uma perspectiva substancial, ou seja, por meio da radicalização profunda da própria noção de democracia. Em suma, o presente estudo procura analisar a autonomia operária em Castoriadis reconstruindo o percurso histórico que o levou do marxismo às noções de autonomia e imaginário social radical e, em seguida, como essa teoria social defende a conquista do autogoverno coletivo e popular. Este debate propõe elucidar os fenômenos que encarnam a heteronomia e a administração burocrática da sociedade: o marxismo ortodoxo e o capitalismo. Diante das sombras deixadas pelo declínio da teoria socialista e da alienação cada vez mais brutal do capitalismo, pensar a autonomia de forma radical é o único modo de viabilizar a ação consciente, lúcida e criativa. Somente assim a auto-instituição da sociedade apresentar-se-ia explicitamente aos olhos dos indivíduos tornando-os portadores da responsabilidade de edificar a organização coletiva. Esta capacidade de julgar as significações e a instituição social em sua totalidade implica um tipo inédito de ser social e histórico.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2292
Other Identifiers: 2012944388
Appears in Collections:Filosofia (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Autonomia_Marques_2015.pdf.txtMonografia399,99 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.