Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2289
Title: Análise do comportamento da frequência cardíaca, percepção subjetiva de esforço e afeto em brincadeiras ativas em escolares pré-púberes.
Authors: Fernandes, Ana Mércia Teixeira
Keywords: Atividade Física na Infância; Brincadeiras Ativas; Frequência Cardíaca; Percepção Subjetiva de Esforço
Issue Date: 8-Jul-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FERNANDES, Ana Mércia Teixeira. Análise do comportamento da frequência cardíaca, percepção subjetiva de esforço e afeto em brincadeiras ativas em escolares pré-púberes. 2016. 32f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: RESUMO Nas últimas décadas, o comportamento das crianças, antes ativo e com liberdade de movimento nos ambientes vem sendo substituído pelo sedentarismo, influenciado principalmente pela tecnologia. O objetivo principal do trabalho consiste em analisar os efeitos de diferentes brincadeiras ativas e atividades infantis nas variáveis, Frequência cardíaca (FC), percepção de esforço, (PSE) e afeto positivo e negativo em relação à emoção e prazer com a atividade. A amostra consistiu em uma população de 18 estudantes de ambos os sexos: masculino, feminino, com idade entre 10 a 11 anos. Inicialmente foram realizadas avaliação antropométrica e verificação da frequência cardíaca em repouso. No segundo encontro, foram realizadas as brincadeiras ativas e uma sessão de desenho, e logo após cada uma das atividades foi verificado os valores da FC, PSE e Afeto. Inicialmente foi testada a normalidade dos dados por meio do teste de Shapiro-Wilk, em seguida foi realizada a ANOVA de Friedman, para as variáveis FC e PSE, e o teste qui-quadrado foi utilizado para verificar as diferenças do Afeto da brincadeira ativa e a sessão de desenho. Como resultados as brincadeiras ativas causam reações fisiológicas positivas ao sistema cardiovascular, aumento da atividade metabólica, levando a criança a ter um gasto calórico importante, combatendo assim o sedentarismo. Na discussão se ressaltou a ideia de que as brincadeiras tiveram uma PSE moderada com um afeto muito alto e com uma intensidade da FC de quase 80% da FC máxima. Concluiu-se que as brincadeiras ativas tiveram esforços moderados, ocasionando um gasto calórico importante, devido ao aumento da atividade metabólica durante a prática, sendo ainda tão prazerosa para a maioria dos participantes, quanto uma atividade sedentária. Assim, pode-se afirmar que as brincadeiras ativas são uma alternativa no combate ao sedentarismo infantil no ambiente doméstico.
Abstract: ABSTRACT In the last decades, children's behavior, before active in freedom of movement in the environment has been replaced by sedentary lifestyle, influenced mainly by technology. The main objective of this work is to analyze the effects of different active play and children's activities in the variables, heart rate (HR), perceived exertion (RPE), and positive and negative affect in relation to emotion and pleasure with the activity. The sample consisted of a population of 18 students of both sexes: male, female, between 10 to 11 years old. Initially were conducted anthropometric measurements and check the heart rate at the time of rest. At the second meeting, active games and a drawing session were held, and after each activity was checked the values of HR, RPE and Affection. Initially we tested the normality of the data by the Shapiro-Wilk test was then performed ANOVA Friedman, for HR and RPE variables, and Student's t-test was used to verify the Affection differences of active play and a drawing session. As the results, the active play cause positive physiological responses to the cardiovascular system, increased metabolic activity, leading the child to have a significant caloric expenditure, thus countering a sedentary lifestyle. In the discussion highlighted the idea that the games had a moderate RPE with a very high affection and with an intensity of HR of nearly 80% of maximum heart rate. It concluded that active play had moderate efforts, causing a major energy expenditure, due to increased metabolic activity during the practice still as enjoyable for most participants, as a sedentary activity. Thus, it can be said that active play is an alternative in the combating child inactivity in the domestic environment.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2289
Other Identifiers: 2011025487
Appears in Collections:Educação Física (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Análisecomportamentofrequência_2016_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo638.55 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.