Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2062
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAraújo, Marta Maria de-
dc.contributor.authorAraújo, Débora Borges de-
dc.date.accessioned2016-05-13T19:22:09Z-
dc.date.available2016-05-13T19:22:09Z-
dc.date.issued2015-12-4-
dc.identifier2012957831pr_BR
dc.identifier.citationARAÚJO, Débora Borges de. As narrativas da infância sobre a violência física e simbólica no espaço escolar. 2015. 20 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia), Departamento de Fundamentos e Políticas da Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2062-
dc.description.abstractThe related work presents results of a search performed, which discusses different types of violence, narratively recognized by children from eight to eleven years old, at school. Linked to the project "Children's Narratives. What have the children on the children's school? "(MICT / CNPq / CAPES-07 / 2011-2), sticks to the narrative as the search method and considers the child as a subject of law. Taking as the theoretical framework Bourdieu's work (1992, 1998); Boff (2004); Delory-Momberger (2012) and Passeggi (2011). Data were collected on a Municipal School of Natal - RN, in the succeeding wheel conversations with the children, which counted for a small "Alien" was like school. In analysis, there was the mention of children to violence at school on a voluntary basis, in reporting cases of violence to the alien, as something that occurs in the routine of constantly School, bringing out anger and insecurity. This emerged as a point of extreme importance to study. Thus, among the types of eminent violence, we highlight the symbolic violence and physical violence. We emphasize in conclusion that the narratives of the children bring a new form of access to various types of violence in schools, the development of research "with" the child, not on the child, contributing to a child's own reflection on what the befall extent narrate their experiences, and for the construction of new scientific knowledge.pr_BR
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectNarrativas Infantispr_BR
dc.subjectViolênciapr_BR
dc.subjectCriançapr_BR
dc.titleAs narrativas da infância sobre a violência física e simbólica no espaço escolarpr_BR
dc.title.alternativeThe childhood of the narrative of violence in schoolphysical and symbolic spacepr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Carvalho, Herli de Sousa-
dc.contributor.referees2Nascimento, Gilcilene Lélia Souza do-
dc.description.resumoO referente trabalho expõe resultados de uma pesquisa executada, que discute diferentes tipos de violência, reconhecidos narrativamente por crianças de oito a onze anos de idade, no espaço escolar. Vinculada ao Projeto “Narrativas infantis. O que contam as crianças sobre a escola da infância?” (MICT/CNPq/CAPES-07/2011-2), adere à narrativa como o método de pesquisa e considera a criança como sujeito de direito. Tomando como referencial teórico os trabalhos de Bourdieu (1992, 1998); Boff (2004); Delory-Momberger (2012) e Passeggi (2011). Os dados foram coletados em uma Escola Municipal de Natal - RN, no suceder de rodas de conversas com as crianças, as quais contavam para um pequeno “Alien” como era a escola. Em análise, surgiu a menção das crianças à violência na escola de forma voluntária, no relato de situações de violência para o Alien, como algo que ocorre na rotina da escola de modo constante, trazendo a tona revolta e insegurança. Isso despontou como ponto de extrema importância aos estudos. Assim, dentre os tipos de violência eminentes, damos destaque a violência simbólica e a violência física. Ressaltamos em conclusão que, as narrativas das crianças trazem uma nova forma de acesso aos diversos tipos de violência na escola, ao desenvolvimento da pesquisa “com” a criança, e não sobre a criança, contribuindo para uma reflexão própria da criança sobre o que a sobrevêm a medida do narrar das suas experiências, e para a construção de novos saberes científicos.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentPedagogiapr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
dc.subject.cnpqPedagogiapr_BR
Appears in Collections:Pedagogia (Presencial)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.