Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1859
Title: Prospecção química e microbiológica do óleo essencial de espécimens de M. Urundeuva (aroeira-do-sertão) quimiotipos 3-careno e ocimeno.
Authors: Chagas, Mariane Barreto das
Keywords: Myracrodruon urundeuva.;Monoterpenos.;Aroeira do sertão.
Issue Date: 16-Dec-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CHAGAS, Mariane Barreto das. Prospecção química e microbiológica do óleo essencial de espécimens de M. Urundeuva (aroeira-do-sertão) quimiotipos 3-careno e ocimeno. 2015. 61f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Química) - Instituto de Química, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal - RN, 2015.
Portuguese Abstract: Myracrodruon urundeuva Fr. Allem. é uma árvore amplamente encontrada na "Caatinga" e outras florestas secas do Brasil. Estudos anteriores sobre a composição química do óleo essencial de M. Urundeuva mostram uma composição química volátil constituída por monoterpenos de forma molecular C10H16, sendo eles: cis e trans ocimeno, 3-careno, limoneno, mirceno e pineno. Em virtude deste curioso resultado, foi realizada uma análise em uma região serrana, mais precisamente na localidade de Araruna no estado da Paraíba, visando determinar a composição química e realização de testes biológicos antimicrobianos de espécimens de aroeira-do-sertão. O monoterpeno cis ocimeno foi testado em uma reação de epoxidação, visando testar metodologias para sua modificação estrutural e atividade biológica. A análise cromatográfica do óleo essencial demonstrou que o monoterpeno 3-careno é o constituinte majoritário, possuindo uma atividade biológica mais eficiente em comparação com o monoterpeno cis ocimeno e o seu derivado epoxidado, evidenciando um alto poder terapêutico contra bactérias. O grau de pureza do reagente de partida cis ocimeno para a reação de epoxidação foi determinado por RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR DE 1H. De acordo com os testes biológicos o óleo essencial da aroeira do sertão revelou-se mais potente que o chá da aroeira liofilizado, que apenas inibiu o crescimento da bactéria. Isso evidencia que terpenos como constituintes voláteis são mais terapêuticas do que outras substâncias naturais, como flavonoides e taninos, já que não estão presentes na fase aquosa. Este estudo mostrou-se bastante promissor em relação ao efeito dos óleos essenciais sobre as bactérias testadas e instiga novas pesquisas para modificação estrutural dos mesmos.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/1859
Other Identifiers: 2009044860
Appears in Collections:Química (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ProspecçaoQuimica_Chagas_2015.pdfMonografia2,08 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.