Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1610
Title: Avaliação do grau de motivação em pacientes pós acidente vascular encefálico (AVE) na realização da terapia de espelho.
Authors: Barbosa, Maria Clara Silva
Keywords: Motivação, Acidente Vascular Cerebral, Terapia de Espelho.
Issue Date: 3-Dec-2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: BARBOSA, Maria Clara Silva. Avaliação do grau de motivação em pacientes pós acidente vascular encefálico (AVE) na realização da terapia de espelho.2015. 25f. Artigo Científico (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2015.
Portuguese Abstract: Objetivo: Avaliar o grau de motivação em pacientes pós Acidente Vascular Encefálico (AVE) na realização da terapia de espelhos. Métodos: Pesquisa de caráter analítico quase-experimental, randomizado, cego, não controlado, envolvendo indivíduos com sequelas de AVE. Os pacientes foram recrutados por intermédio de Agente Comunitário de Saúde (ACS) das unidades básicas de saúde da cidade de Santa Cruz e pela lista de atendimento da Clínica Escola de Fisioterapia. Foram selecionados 26 pacientes que realizaram a Terapia de Espelho(TE) através de técnicas distintas, sendo um grupo de padrões de movimento (GP/ n=13) e outro de atividades funcionais (GA/ n=13), por 15 sessões, 3 vezes na semana, com duração de 50 minutos. As avaliações clínicas foram realizadas antes e depois das 15 sessões e a avaliação da motivação ocorreu na 7ª e 14ª sessão. Resultados: O grupo GA mostrou-se mais motivado nos subitens valor/utilidade da tarefa, pressão/tensão e total (p=0.02; p=0.008; p=0.002, respectivamente) quando comparados os valores da 7ª e 14ª sessão no decorrer da terapia. Na 7ª sessão, na análise entre-grupos, o GP apresentou-se mais motivado para valor/utilidade e total (p=0,001 respectivamente), e ambos os grupos apresentaram motivação similar no final da terapia. Conclusão: Na avaliação do sétimo dia, o GP já encontrava-se mais motivado do que o GA, no entanto no decorrer da terapia o GA obteve aumento da motivação intrínseca, porém ambos os grupos apresentaram valores similares no final da terapia, concluindo que a TE proporciona um ambiente motivador para pacientes com acidente vascular encefálico independente do protocolo utilizado.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/1610
Other Identifiers: 2011080667
metadata.dc.description.embargo: 2018-12-15
Appears in Collections:FACISA - Fisioterapia



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons