Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1603
Título: Ocorrência da Síndrome de Pusher em pacientes pós-AVC em Santa Cruz/RN
Título(s) alternativo(s): Occurrence of Pusher Syndrome in post-stroke patients in Santa Cruz/RN
Autor(es): Oliveira, Paloma Cristina Alves de
Palavras-chave: Síndrome de Pusher. Fisioterapia. Acidente Vascular Cerebral.
Data do documento: 3-Dez-2015
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: OLIVEIRA, Paloma Cristina Alves de. Análise da ocorrência da Síndrome de Pusher em pacientes pós-AVC em Santa Cruz/RN. 2015. 31f. Artigo Científico (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2015.
Resumo: Objetivo. Analisar a ocorrência da Síndrome de Pusher, e sua associação com a gravidade clínica e dependência funcional, em pacientes agudos e subagudos pós-AVC, na cidade de Santa Cruz-RN. Método. Trata-se de um estudo transversal, observacional, com abordagem quantitativa realizado com pacientes atendidos na Clínica Escola de Fisioterapia da UFRN/FACISA, provenientes do serviço de Neurologia. A amostra constou de 13 indivíduos adultos, de sexos variados, selecionados por conveniência. Foi utilizada uma ficha de avaliação sociodemográfica, o Mini Exame de Estado Mental, Escala de Equilíbrio de Berg, Protocolo de Desempenho Físico de Fulg-Meyer, Medida de Independência Funcional e Scale for Contraversive Pushing. Resultados. 62% da amostra é do sexo feminino com mediana de idade de 55 anos. 69% apresentaram AVC isquêmico. O hemisfério cerebral direito foi o mais comprometido (54%) e 23% foram diagnosticados com SP. A maioria dos pacientes mostrou ter um equilíbrio ruim, grave comprometimento na mobilidade, função sensorial e motora, baixa independência funcional e comprometimento para atividades de vida diária. Conclusão. A prevalência da SP depende dos critérios utilizados para o diagnóstico, bem como o conhecimento dos profissionais de saúde. As escalas foram fiéis para determinar o declínio clínico do paciente diagnosticado com SP.
Abstract: Objective. To analyze the occurrence of Pusher syndrome and its association with clinical severity and functional dependence, patients in acute and subacute post-stroke in the city of Santa Cruz-RN. Method. It is a cross-sectional, observational study with a quantitative approach carried out with patients followed in the Physiotherapy School of UFRN/FACISA, from the Neurology Service. The sample consisted of 13 adults of varying genders, selected by convenience. One sociodemographic questionnaire was used, the Mini Mental State Examination, Berg Balance Scale, Physical Performance Protocol Fulg-Meyer, Functional Independence Measure and Scale for Contraversive Pushing. Results. 62% of the sample were female with a median age of 55 years. 69% had ischemic stroke. The right cerebral hemisphere was the most affected (54%) and 23% were diagnosed with SP. Most patients shown to have a bad balance, severe impairment in mobility, sensory and motor function, low functional independence and commitment to activities of daily living. Conclusion. The prevalence of SP depends on the criteria used for diagnosis as well as the knowledge of health professionals. The scales were loyal to determine the clinical decline in patients diagnosed with SP.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/1603
Outros identificadores: 2011004665
metadata.dc.description.embargo: 2018-12-11
Aparece nas coleções:FACISA - Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Ocorrência da Síndrome de Pusher em pacientes pós-AVC em Santa Cruz RN.pdf423,33 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.