Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1503
Título: Análises comparativas das execuções orçamentárias dos gastos dos governos dos estados do nordeste no período de 2002 a 2011
Autor(es): Araújo, Liênio Dantas de
Palavras-chave: Administração Pública;Diferenças significativas;Execuções orçamentárias;Estados;Coeficiente de variação
Data do documento: 12-Jun-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: ARAÚJO, Liênio Dantas de. Análises comparativas das execuções orçamentárias dos gastos dos governos dos estados do nordeste no período de 2002 a 2011. 2013. 34f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) - Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: A Administração Pública é voltada para dar suporte ao Estado no que diz respeito à realização de seus serviços, visando assim promover à satisfação das necessidades coletivas. O objetivo geral desta pesquisa foi analisar se existiam diferenças significativas nas execuções orçamentárias dos gastos com saúde, educação, segurança pública, assistência social e trabalho dos Estados da Região Nordeste no período de 2002 a 2011. Na investigação foram utilizadas as pesquisas descritiva, bibliográfica, documental, quantitativa e qualitativa para obtenção dos resultados. Os dados foram obtidos por meio do sítio da Secretaria de Tesouro Nacional (STN), onde foi retirado o demonstrativo de gastos dos Estados brasileiros durante o período de 1995 a 2011. Ao final das análises conclui-se que com base na análise das tabelas de despesas por função (per capita) que os estados da Região Nordeste apresentaram distorções significativas em suas execuções. Na Função Segurança Pública os estados que apresentaram distorções significativas foram Ceará (43,51) e Piauí (43,73). Na função Saúde foram os estados de Ceará (51,95) e Maranhão (77,62). Na função Educação foram os estados da Bahia (34,11), Maranhão (38,25) e Pernambuco (51,80). Na função Assistência Social foram os estados do Maranhão (8,29), Alagoas (13,42) e Pernambuco (13,66). Na função Trabalho foram os estados do Maranhão (2,55), Alagoas (3,2) e Paraíba (3,81). Na análise do coeficiente de variação por função os estados em sua maioria apresentaram um percentual superior a 30%, percentual esse que indica instabilidade na aplicação de recursos durante o período analisado, de modo que os gastos nas funções em sua maioria não seguiram uma regularidade. Porém, na função Educação o Estado de Alagoas apresentou um coeficiente de 26,41%. Já na função Assistência Social o estado que mereceu destaque foi Rio Grande do Norte com um coeficiente de 19,30%. E na função Trabalho novamente o estado de Alagoas ganhou destaque positivo por apresentar um coeficiente de 26,18%. Ambos os coeficientes indicam uma média dispersão dos valores em torno da média e média representatividade da média da série, de modo que houve uma maior regularidade na aplicação de recursos por partes desses estados durante o período analisado de 2002 a 2011.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/1503
Outros identificadores: 2008003230
Aparece nas coleções:Ciências Contábeis

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnalisesComparativas_Araujo_2013Texto Completo620,52 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons