Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1480
Title: Remuneração dos dirigentes das fundações de apoio às instituições de ensino superior: uma abordagem crítica da legislação e doutrina pertinentes no Brasil e em outros países
Authors: Silva, Kadja Wanessa Medeiros da
Keywords: Terceiro Setor;Fundações de Apoio;Imunidade Tributária;Remuneração de Dirigentes
Issue Date: 28-Jun-2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Kadja Wanessa Medeiros da. Remuneração dos dirigentes das fundações de apoio às instituições de ensino superior: uma abordagem crítica da legislação e doutrina pertinentes no Brasil e em outros países. 54f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) - Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: As instituições do chamado Terceiro Setor, caracterizadas por serem entidades privadas, sem fins lucrativos e com o objetivo de promover o bem de todos, estão em constante desenvolvimento e expansão. Com as fundações de apoio às instituições de ensino superior não é diferente. Segundo a Constituição Federal, a educação é um direito de todos e dever do Estado. Ao contrário do que está estabelecido na Carta Magna, o Estado encontra dificuldades de sozinho cumprir com esta missão. Estas instituições desempenham um papel extremamente relevante para a sociedade, no que diz respeito ao fomento do ensino e das pesquisas tecnológicas e, necessitam de uma gestão eficiente para que seus objetivos sejam verdadeiramente alcançados. O objetivo geral desta pesquisa é discutir a respeito da viabilidade a cerca da remuneração dos dirigentes destas instituições, tendo como base, principalmente a legislação e a doutrina brasileira, bem como utilizar elementos de países como Espanha, França e Portugal. Para tanto, foi utilizada a pesquisa descritiva, bibliográfica e qualitativa. No Brasil, apesar de uma legislação, por muitas vezes confusa, já foi estabelecido que, estas entidades poderão sim, remunerar seus dirigentes, porém arcarão com as consequências deste ato, entre elas perda de benefícios como imunidade e isenção de impostos e a não concessão do título de utilidade pública e de Certificado de Entidade Beneficente de Assistência social – CEBAS. Diante de tais limitações, as próprias entidades preveem em seus estatutos a regra da não remuneração. Porém, o que observamos é que a vedação não é absoluta, desde que seja designada a tarefas distintas as inerentes ao cargo de administrador. Na Espanha e na França, essa realidade é semelhante ao Brasil, sendo proibida a remuneração pelo simples fato do dirigente comandar a instituição. Já em Portugal, tais entidades não são proibidas de remunerar os seus dirigentes.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/1480
Other Identifiers: 2008004201
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RemuneracaoDosDirigentes_Silva_2013Texto Completo375,86 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons