Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1336
Título: As contas externas do Brasil no período 2000-2013: melhora estrutural?
Autor(es): Nascimento, Alexandre Tomaz do
Palavras-chave: Balanço de pagamentos;restrição externa;passivo externo líquido
Data do documento: 28-Nov-2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: NASCIMENTO, Alexandre Tomaz do. As contas externas do Brasil no período 2000-2013: melhora estrutural?. 2014. 56 f. Monografia (Bacharelado) - Curso de Economia, Departamento de Economia, UFRN, Natal, 2014.
Resumo: O presente estudo pretende realizar uma discussão sobre a situação das contas externas brasileira no período entre 2000 e 2013. Os anos 2000 se caracterizam por uma bonança externa derivada tanto da valorização dos preços das commodities como por um maior fluxo de liquidez favorável aos países periféricos. Diante disso, a melhora das contas externas no Brasil foi seguida por uma mudança estrutural? Parte-se da hipótese de que a melhora das contas externas não foi seguida de uma mudança estrutural, dado que não houve no período uma mudança estrutural que permitisse sustentar o crescimento diante da reversão do quadro externo favorável. Nos últimos dois anos a entrada de capitais no Brasil estagnou-se e os preços das commodities apresentaram a mesma tendência, gerando déficit em transações correntes e diminuição no superávit do balanço de pagamentos. Neste sentido, a apreciação cambial gerou o aumento das importações e consequentemente da restrição externa. Assim, mesmo com a melhora das contas externas, o país não conseguiu elevar suas elasticidades renda da demanda das exportações e reduzir a das importações, de modo que a economia brasileira continua muito dependente da entrada de capitais externos para fechar a conta do balanço de pagamentos.
Abstract: This study intends to hold a discussion on the situation of Brazilian external accounts between 2000 and 2013. The 2000s are characterized by an external bonanza derived both from appreciation in commodity prices such as for a greater flow of favorable liquidity to peripheral countries. Therefore, the improvement in the external accounts in Brazil was followed by a structural change? Part is the hypothesis that the improvement in the external accounts was not followed by a structural change, given that there was a structural change in the period that allowed sustain growth before the reversal of the favorable external environment. Over the past two years capital inflows in Brazil stagnated and commodity prices showed the same trend, generating current account deficit and a decrease in the balance of payments surplus. In this sense, the exchange rate appreciation generated increased imports and consequently the external constraint. Thus, even with the improvement in the external accounts, the country failed to raise their income elasticities of demand for exports and reduce imports, so that the Brazilian economy remains heavily dependent on foreign capital inflows to close the account of the balance of payments.
URI: http://monografias.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/1336
Outros identificadores: 200704451
Aparece nas coleções:Ciências Econômicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Ascontasexternas_Monografia.pdf1,15 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons