Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1270
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlmeida, Adriana Monteiro de-
dc.contributor.authorSilva, Ewerton Calixto da-
dc.date.accessioned2015-07-31T13:08:03Z-
dc.date.available2015-07-31T13:08:03Z-
dc.date.issued2015-06-05-
dc.identifier2010058771pr_BR
dc.identifier.citationSILVA, Ewerton Calixto da. Variação sazonal e mudanças ambientais afetando a abundância do terceiro nível trófico em um fragmento de Mata Atlântica em Parnamirim/RN. Natal, 2015. 31 f. Monografia (Graduação em Ecologia) - Departamento de Ecologia. Centro de Biociências. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2015.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/1270-
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.subjectHerbivoria. Parasitóide. Sazonalidadepr_BR
dc.subjectHerbivory. Parasitoid. Seasonalitypr_BR
dc.titleVariação sazonal e mudanças ambientais afetando a abundância do terceiro nível trófico em um fragmento de Mata Atlântica em Parnamirim/RNpr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Corso, Gilberto-
dc.contributor.referees2Morais, Vanessa Rodrigues de-
dc.description.resumoA sazonalidade é capaz de agir na abundância de insetos. É observada uma oscilação na abundância de herbívoros em locais com sazonalidade bem marcada, com uma baixa abundância no período seco e uma abundância elevada no período chuvoso. Não há trabalhos envolvendo sazonalidade e diferenças dentre os ambiente na “Mata do Jiqui”, sendo esse trabalho importante, pois serve de arcabouço para futuros trabalhos. Em um fragmento de Mata Atlântica, buscamos verificar e analisar de que forma os parasitóides estão interagindo com os herbívoros e plantas hospedeiras, como eles respondem frente à sazonalidade e aos diferentes ambientes mensalmente durante seis anos de estudo (2008-2014). O ambiente foi dividido em três áreas diferentes com características distintas: borda da mata (BM), centro da mata (CM) e margem do rio (MR). Foram dispostos transectos de 100m por 2m de largura e em cada transecto, as lagartas associadas as suas plantas hospedeiras eram capturadas e levadas ao laboratório para a obtenção de adultos. A partir da confecção de um gráfico ombrotérmico foram identificados os meses secos e chuvosos no período de estudo. No ambiente estudado houve uma maior abundância de amostras de lepidóptera e consequentemente de seus parasitóides no ambiente de borda da mata, quando comparado com o centro da mata e a margem do rio. As análises mostraram que não houve diferença significativa das Ordens Hymenoptera e Diptera dentre os ambientes, com exceção das superfamílias Chalcidoidea e Ichneumonidea que tiveram as suas abundâncias maiores que o esperado no ambiente de borda e centro da mata respectivamente. Em relação à sazonalidade também não houve diferença significativa entre as Ordens durante a época seca e chuvosa. É importante que outros estudos sejam realizados em áreas de Mata Atlântica de maior porte para que seja possível observar se o mesmo padrão acontece.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentEcologiapr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VariaçaoSazonal_Silva_2015.pdfMonografia1,19 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.