Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/1269
Título: Análise espacial da dinâmica da incidência das neoplasias ginecológicas e de mama no Rio Grande de Norte
Autor(es): Rocha, Regina Maria de Jesus
Palavras-chave: Neoplasia maligna. Mama. Útero.
Data do documento: 13-Dez-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: ROCHA, Regina Maria de Jesus. Análise espacial da dinâmica da incidência das neoplasias ginecológicas e de mama no Rio Grande de Norte. 2013. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia). Centro de Ciências Exatas e da Terra, Departamento de Estatística, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. 2013.
Abstract: A neoplasia maligna de mama e do aparelho reprodutor feminino constitui em um grande problema mundial de saúde. O objetivo desse estudo é avaliar a incidência das neoplasias malignas da mama e do aparelho reprodutor na população feminina do RN, considerando o primeiro triênio no período de 1999, 2000 e 2001 e o segundo 2009, 2010 e 2011, como também estimar novos casos de câncer de mama e aparelho reprodutor em Natal. A fonte de dados utilizada foi do DATASUS. Para a análise e identificação das microrregiões do RN com maiores taxas de incidência dos cânceres de mama e aparelho reprodutor feminino, utilizaram-se várias metodologias estatísticas, dentre elas: Análise de Agrupamento, teste T emparelhado e desenvolvimento de modelos de séries temporais para previsão com metodologia Box & Jenkins, para a capital do RN, Natal. Esse estudo possibilitou a averiguação das taxas de incidência das neoplasias malignas da mama e do aparelho reprodutor feminino, através da análise espaço-temporal. Já o modelo ARIMA (2,1,1) permitiu obter estimativas para as duas neoplasias para Natal. Observou-se pelos resultados que as mulheres das microrregiões Seridó Ocidental (45,22/100 mil), Borborema Potiguar (35,43/100 mil) e Natal (30,45/ 100 mil) foram as que mais apresentaram câncer de mama em 2000. Já em 2010, Seridó Ocidental passou de (45,22/100 mil) para (48,16/100 mil) e Natal (30,45/100mil) para (46,78/100 mil). Borborema Potiguar houve um decréscimo passando a ter (29,79/100 mil) para esse tipo de câncer. Observou-se para as neoplasias malignas do aparelho reprodutor feminino que Seridó Ocidental (393,16/100 mil) também apresentou taxas bastante elevadas no ano de 2000, seguido por Paus dos Ferros (284,73/100 mil). Apesar de notar uma melhora nas microrregiões no ano de 2010 percebeu-se que Angico ainda continuou com elevação nas taxas passando de (192,16/100 mil) para (194,40/100 mil). Através da análise de agrupamento percebeu-se que as microrregiões com maiores semelhança em relação ao câncer de mama foram Seridó Ocidental, Natal e Mossoró, e os grupos com maiores semelhanças em relação ao câncer do aparelho reprodutor feminino foram Seridó Ocidental, Serra de São Miguel, Pau dos Ferros e Angicos.
URI: http://monografias.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/1269
Aparece nas coleções:Estatística

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnaliseEspacial_Rocha_2013.pdfMonografia958,61 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.