Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/11267
Title: Os Conceitos de Alfabetização e Literacia na “Nova” Política de Alfabetização no Brasil: Pontos de Tensão
Authors: Gomes, Livia Santos Bomfim
Keywords: Alfabetização;Política Nacional de Alfabetização;Literacia
Issue Date: 8-Dec-2020
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GOMES, Livia Santos Bomfim. Os Conceitos de Alfabetização e Literacia na “Nova” Política de Alfabetização no Brasil: Pontos de Tensão. 2020. 32 f. TCC (Graduação) - Curso de Pedagogia, Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.
Portuguese Abstract: O presente trabalho tem como objetivo apresentar os pontos de tensão encontrados em relação aos conceitos de Alfabetização e Literacia na “nova” Política Nacional de Alfabetização (PNA, 2019). Utilizamos uma metodologia de pesquisa baseada na abordagem qualitativa, de natureza exploratória e a técnica para a construção dos dados foi a análise documental. As discussões foram fundamentadas em documentos oficiais – Caderno e Decreto nº 9.765 – que instituíram a Política Nacional de Alfabetização e nas reflexões teóricas de Ferreiro e Teberosky (1984; 1999), Soares (2003), Piccoli (2019), Nogueira (2019), Frigotto (2019), dentre outros autores. A análise dos documentos que usamos como fonte de pesquisa aponta que a política em questão desconsidera os estudos e pesquisas realizados sobre alfabetização nos últimos 40 anos no Brasil e adota como referencial teórico os estudos das ciências cognitivas e neurociências como únicos paradigmas que tratam da aprendizagem da leitura e da escrita. Os documentos que apresentam a política ignoram mais de duas décadas de estudos comprovadamente eficientes de alfabetização, além de programas e políticas anteriores de alfabetização, evidenciando um retrocesso na educação em nosso país. Além disso, reduzem o conceito de alfabetização ao ensino do sistema de escrita alfabético, desconsiderando a aprendizagem que a criança realiza sobre esse sistema. O conceito de letramento é suprimido da política e substituído pelo de literacia. Isto significa uma negação ao caráter social dos usos da língua numa determinada cultura.
Abstract: The present work aims to present the points of tension found in relation to the concepts of Literacy in the “new” National Literacy Policy (PNA, 2019). We used a research methodology based on the qualitative approach, of an exploratory nature and documentary analysis. The discussions were based on official documents - Notebook and Decree nº 9.765 that institutes the National Literacy Policy and on the theoretical reflections of Ferreiro and Teberosky (1984; 1999), Soares (2003), Piccoli (2019), Nogueira (2019), Frigotto (2019), among other authors. The analysis of the documents points out that the policy in question disregards the studies and research carried out on literacy in the last 40 years in Brazil and adopts as a theoretical reference the studies of cognitive sciences and neurosciences as the only paradigms that deal with learning reading and writing. The documents ignore more than two decades of proven literacy studies, in addition to previous literacy programs and policies, showing a setback in education in our country. In addition, they reduce the concept of literacy to the teaching of the alphabetical writing system, disregarding the learning that the child performs about this system. The concept of literacy is removed from politics and replaced by that of literacy. This means a denial of the social character of the uses of language in a culture.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/11267
Other Identifiers: 20160141515
Appears in Collections:Pedagogia (Presencial)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OsConceitosdeAlfabetização_Gomes_2020.pdf356,92 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons