Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10993
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMelo Júnior, Germano-
dc.contributor.authorMascena, Paulo Linarde Dantas-
dc.date.accessioned2020-12-21T18:09:25Z-
dc.date.available2020-12-21T18:09:25Z-
dc.date.issued2020-12-17-
dc.identifier2013012307pt_BR
dc.identifier.citationMASCENA, Paulo Linarde Dantas. Avaliação de ambientes de mangue e praia/ilha-barreira quanto a contaminação por material de empréstimo através de análises estatísticas, Macau-RN. 2020. 95 f. TCC (Graduação) - Curso de Geologia, Departamento de Geologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10993-
dc.description.abstractThe use of loan material (sand and gravel) in the construction of the Serra Oil Field’s roads and bases arises the possibility of textural and compositional alteration of mangrove and beach environments located within reach of coastal forces. The Serra Oil Field is known to be a coastal erosion hotspot in the Rio Grande do Norte coast, locations where coastal forces (waves and tidal currents) work on an intensely way, hence arising the possibility of erosion of those materials, and its subsequent transport and deposition in mangrove and beach zones. To assess the impact of a possible alteration by the loan material a field study was conducted in the area in which core samples were collected in both beach and mangrove environments. In this study, a total of eight areas are selected, being four mangrove areas and four beach areas, three areas with possible alteration and one standard area for comparison for each environment. In each environment there are three core drillings, making a total of 24 core samples, which in turn are grouped in four equidistant ranges for sampling in order to do lab analysis, which resulted in 93 samples, since three core drillings (CM2B, CM3A and CPrI3B) could not reach 1 meter depth, therefore, only three samples were retrieved. The results of the lab’s analysis of those samples generated the data used for the statistical assessment which is the scope of the present work. The data are organized into three categories for a better understanding of the alteration level provided by the loan material: granulometric variables, compositional variables, and geochemical variables. The granulometric variables refer to the phi proportions of sorting degree and granulometric median, as well as the percentages of gravel, VCCM (very coarse, coarse and medium) sand, VFF (very fine and fine) sand and clay. The compositional variables comprise the percentages of siliciclastic and carbonate sediments, organic matter, rock fragments, heavy minerals, and quartz. The geochemical variables comprise the amounts of the elements uranium, thorium, and potassium expressed in parts per million (ppm). Besides that, the coregama unit assesses the samples’ granulometry. The statistical assessment consists of a descriptive statistics stage with the making of statistical summaries for the two analyzed environments considering arithmetic mean, median, minimum value, maximum value, standard deviation, coefficient of variation, and skewness. The vertical profiles produced within the assessment verify the variables pattern with depth, in addition to, the box plots analyze the data variability in each area. The statistical assessment also consisted of nonparametric testing through the Kruskal-Wallis and multiple independent samples comparison tests aiming to identify one or more different areas from the rest through discrepancy detection among the distribution of the variables on these locations. The inferential stage of the statistical assessment consisted in the integrated interpretation of the results and from that stage the conclusion is that the loan material texturally and compositionally does not alter both the mangrove and beach areas, once they do not present enough traces despite the early suspicion about CPrI1 and CM2.pt_BR
dc.description.sponsorshipFUNPECpt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortept_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectMaterial de empréstimopt_BR
dc.subjectAlteraçãopt_BR
dc.subjectAvaliação estatísticapt_BR
dc.subjectManguept_BR
dc.subjectPraiapt_BR
dc.subjectLoan materialpt_BR
dc.subjectAlterationpt_BR
dc.subjectStatistical assessmentpt_BR
dc.subjectMangrovept_BR
dc.subjectBeachpt_BR
dc.titleAvaliação de ambientes de mangue e praia/ilha-barreira quanto a contaminação por material de empréstimo através de análises estatísticas, Macau-RNpt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.contributor.advisor-co1Helenice Vitalpt_BR
dc.contributor.referees1Silva, André Giskard Aquino da-
dc.description.resumoA utilização de material de empréstimo (piçarra) na construção das bases e acessos ao Campo Serra levanta a possibilidade de alteração textural e composicional de depósitos de ambientes de mangue e praia localizados no alcance de atuação dos agentes costeiros. O Campo Serra é reconhecidamente um dos hotspots de erosão costeira do litoral do Rio Grande do Norte, locais onde os agentes costeiros (ondas e correntes de maré) atuam mais intensamente, e por esse motivo, levanta a possibilidade de erosão desse material, seu posterior transporte e deposição em trechos de mangue e praia. Para analisar o impacto de uma possível alteração pelo material de empréstimo conduziu-se um estudo de campo no qual foram coletados testemunhos em ambiente de mangue e de praia. Nesse estudo são selecionados oito trechos no total, sendo quatro em ambiente de mangue e quatro em ambiente de praia, com três trechos suspeitos de alteração e um trecho de referência para comparação em cada ambiente. Em cada trecho há três sondagens, totalizando 24 testemunhos, que por sua vez são subdivididos em quatro intervalos equidistantes para a retirada de amostras a fim de realizar análises laboratoriais, resultando em 93 amostras, uma vez que três sondagens (CM2B, CM3A e CPrI3B) não conseguiram atingir um metro de profundidade, logo, recuperando somente três amostras. As análises laboratoriais dessas amostras geraram os dados utilizados na realização da avaliação estatística que é o escopo do presente trabalho. Os dados são organizados em três categorias para entendimento do nível de alteração proporcionado pelos materiais de empréstimo: variáveis granulométricas, composicionais e geoquímicas. As variáveis granulométricas se referem às proporções em phi do grau de selecionamento e mediana granulométrica dos sedimentos, bem como às porcentagens de cascalho, areia MGGM (muito grossa, grossa e média), areia MFF (muito fina e fina) e lama. As variáveis composicionais englobam as porcentagens de sedimentos siliciclásticos e carbonáticos, matéria orgânica, fragmentos de rocha, minerais pesados e quartzo. As variáveis geoquímicas compreendem a concentração em partes por milhão (ppm) dos elementos urânio, tório e potássio. Além da unidade de coregama que avalia a granulometria das amostras. A avaliação estatística consiste em uma parte descritiva, com a produção de sumários estatísticos para os dois ambientes analisados considerando média aritmética, mediana, valor mínimo, valor máximo, desvio padrão, coeficiente de variação e assimetria. Os perfis verticais produzidos na avaliação verificam o comportamento das variáveis com a profundidade, além dos diagramas de caixa para analisar a variabilidade dos dados em cada trecho. A avaliação estatística também consistiu na condução dos testes não-paramétricos de Kruskal-Wallis e comparações múltiplas com o objetivo de identificar um ou mais trechos que sejam diferentes dos demais através da detecção de discrepâncias entre as distribuições de dados nesses trechos. A parte inferencial da avaliação estatística consistiu na interpretação integrada dos resultados estatísticos, e a partir dessa etapa a conclusão é de que o material de empréstimo não altera texturalmente e/ou composicionalmente trechos de mangue e praia, por não mostrarem indícios suficientes para sua confirmação, apesar da suspeita inicial sobre CPrI1 e CM2.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentGeologiapt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
Appears in Collections:Geologia



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons