Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10828
Title: O movimento LGBTQI, as marcas e as redes sociais: uma crítica a partir do pinkwashing
Authors: Gois, Pedro Luis Ferreira
Keywords: Movimento LGBTQI;Pinkwashing;Teoria crítica;Instagram;LGBTQI movement;Critical theory
Issue Date: 10-Nov-2020
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GOIS, Pedro Luis Ferreira. O movimento LGBTQI, as marcas e as redes sociais: uma crítica a partir do pinkwashing. 2020. 62f. Monografia (Graduação em Administração) - Departamento de Ciências Administrativas, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.
Portuguese Abstract: Este trabalho teve como objetivo elaborar uma crítica à utilização do movimento LGBTQI na estratégia de comunicação das marcas Avon, Coca Cola e Uber no que se refere à luta contra a opressão. A pesquisa representou um estudo de natureza qualitativa, utilizando-se do método de pesquisa documental. A rede social analisada foi o Instagram, tendo como instrumento de coleta de dados a documentação, através do recolhimento dos posts e comentários dos perfis brasileiros das marcas no Instagram, foi selecionado um post por empresa e o critério de escolha foi o engajamento, isto é, aqueles que tiveram mais comentários. A forma de análise foi a análise de conteúdo e a grade de análise utilizada foi a grade aberta. No tocante aos resultados, obteve-se as seguintes categorizações: Representatividade, Modismo, Revendedora: Trabalhador, Revendedora: Indivíduo, Deixar de consumir os produtos da marca, Captação e/ou fidelização de clientes, Posicionamento de marca e Contradição. Essas categorizações iniciais culminaram nas categorias analíticas que possibilitaram refletir acerca da percepção do público e as contradições do movimento LGBTQI: representatividade, manutenção de privilégios e possível pinkwashing. Por fim, se pode concluir que os posts publicitários engajados no movimento LBGTQI, como as expostas neste trabalho, podem trazer consigo impactos positivos e negativos para as empresas como também para a sociedade.
Abstract: This work aimed to elaborate a critique of the use of the LGBTQI movement in the communication strategy of von, Coca Cola, and Uber brands in relation to the fight against oppression. The research represented a study of a qualitative nature, using the documentary research method. The social network analyzed was Instagram, having as data collection tool the documentation, through the collection of posts and comments of the Brazilian profiles of the brands in Instagram, it was selected one post per company and the criterion of choice was the engagement, that is, those who had more comments. The form of analysis was the content analysis and the grid of analysis used was the open grid. Regarding the results, the following categorizations were obtained: Representativeness, Modism, Reseller: Worker, Reseller: Individual, Stop consuming the brand's products, Capture and/or loyalty of customers, Brand Positioning, and Contradiction. These initial categorizations culminated in the analytical categories that made it possible to reflect on the public perception and contradictions of the LGBTQI movement: representativeness, maintenance of privileges, and possible pinkwashing. Finally, it can be concluded that advertising posts engaged in the LBGTQI movement, such as those exposed in this work, can bring with them positive and negative impacts for companies as well as for society.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10828
Other Identifiers: 20170061534
Appears in Collections:Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OMovimentoLGBTQIMarcasRedesSociais_Gois_2020.pdfMonografia1,48 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons