Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10633
Title: Distribuição espacial e temporal da diversidade da comunidade zooplanctônica em uma salina solar do Nordeste, Brasil
Other Titles: Spatial and temporal distribution of zooplankton community diversity in a solar salt pan of the Northeast, Brazil
Authors: Ferreira Neto, Adonias
Keywords: Ambientes hipersalinos;Zooplâncton;Bioindicadores;Biodiversidade;Hypersaline environments;Zooplankton;Bioindicadore;Biodiversity
Issue Date: 2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FERREIRA NETO, Adonias. Distribuição espacial e temporal da diversidade da comunidade zooplanctônica em uma salina solar do Nordeste, Brasil.. 58f. Monografia (Bacharelado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ensino Superior do Seridó. Caicó-RN, 2019.
Portuguese Abstract: Este estudo é um dos pioneiros a fazer comparações da riqueza e abundância zooplanctônica em tanques com salinidades diferentes numa salina solar no Brasil. As salinas são ecossistemas artificiais e transitórios entre o ambiente marinho e as águas interiores. Devido a produção de sal estar diretamente relacionado com os processos biológicos e tendo em conta que esses ambientes estão sujeitos a ações antrópicas, faz-se necessário que haja um monitoramento ecológico, utilizando-se como ferramenta os organismos bioindicadores ali existentes, sendo que muitos vivem em condições extremas de temperatura, acidez e salinidade, suportando dessa forma, amplas variações nas condições ambientais. O zooplâncton é um bom exemplo de organismos que apresentam adaptações especiais para a sua sobrevivência nesses ambientes, como a capacidade de resistir às variações de salinidade. Ressalta-se ainda a sua função filtradora, tão importante na produção de um sal de qualidade e como indicadora ambiental. O presente estudo teve como objetivo caracterizar a composição e dinâmica sazonal da comunidade zooplanctônica e o seu papel de bioindicador frente aos parâmetros ambientais, avaliando as suas variações espaciais e temporais em resposta ao gradiente de salinidade, pH, temperatura, nitrito, nitrato, amônia, fósforo total e clorofila-a ao longo do circuito das águas da Salina Miramar/NORSAL, localizada no município de Areia Branca/RN. As amostragens foram realizadas ao longo de um ano (janeiro, julho e novembro de 2018), em seis pontos fixos de coleta escolhidos de acordo com o teor de salinidade, com o intuito de se buscar saber a distribuição do zooplâncton referente à concentração de sal nos tanques da salina. Foram avaliadas oito variáveis ambientais nos mesmos pontos de amostragem do zooplâncton. Para estimar os índices de Diversidade Taxonômica, utilizou-se uma classificação linneana hierárquica como base para os cladogramas que representam a relação filogenética das espécies, sendo considerados os cinco níveis taxonômicos. A diversidade beta (βSOR) e seus componentes, turnover (βSIM) e aninhamento (βSNE), foram calculados através do pacote BETAPART no software R. O padrão encontrado no circuito da salina mostra o quão importante é incorporar os ambientes hipersalinos, áreas geralmente negligenciadas em pesquisas limnológicas e nos estudos que tem por objetivo a descrição e o entendimento do padrão geral da comunidade zooplanctônica. A hipótese seguida ao longo da pesquisa é a de que a riqueza e a abundância de espécies do zooplâncton diminuem na medida que a salinidade aumenta. Com as regressões lineares realizadas entre os componentes da diversidade e gradiente de salinidade, apresentaram relações inversamente proporcionais, isto é, a diversidade diminui com aumento da salinidade; contudo, vale salientar que para a distinção taxonômica, menores valores significam maior diversidade, ou seja, quanto mais distintas as relações filogenéticas na comunidade, consequentemente haverá maior biodiversidade. O índice de diversidade taxonômica é uma ferramenta mais adequada para a avaliação de ecossistemas hipersalinos, o que não corrobora a hipótese de estudo. Por fim, esta pesquisa forneceu informações importantes sobre os fatores que controlam a riqueza e distribuição zooplanctônica no espaço e no tempo e pode auxiliar nas ações e estratégias de conservação desses ecossistemas.
Abstract: This study is one of the pioneers to make comparisons of zooplankton richness and abundance in ponds with different salinities in a solar saline in Brazil. Saltpans are artificial and transient ecosystems between the marine environment and inland waters. Due to the salt production being directly related to biological processes and taking into account that these environments are subject to anthropic actions, it is necessary to have an ecological monitoring, using as a tool the bioindicator organisms existing there, being that many live in extreme conditions of temperature, acidity and salinity, thus supporting wide variations in environmental conditions. Zooplankton is a good example of organisms that have special adaptations for their survival in these environments, such as the ability to withstand variations in salinity. Its filtering function is also important in the production of quality salt and as an environmental indicator. This study aimed to characterize the composition and seasonal dynamics of the zooplankton community and its role as a bioindicator in relation to environmental parameters, evaluating its spatial and temporal variations in response to the salinity gradient, pH, temperature, nitrite, nitrate, ammonia, total phosphorus and chlorophyll-a along the water circuit of the Salina Miramar/NORSAL, located in the municipality of Areia Branca/RN. Samplings were performed over a year (January, July and November 2018), in six fixed collection points chosen according to the salinity content, in order to find out the distribution of the zooplankton referring to the salt concentration in the saline tanks. Eight environmental variables were evaluated in the same sampling points of the zooplankton. To estimate the Taxonomic Diversity indices, a hierarchical linnean classification was used as the basis for the cladograms that represent the phylogenetic relationship of the species, considering the five taxonomic levels. The beta diversity (βSOR) and its components, turnover (βSIM) and nesting (βSNE), were calculated using the BETAPART package in the R software. The pattern found in the saline circuit shows how important it is to incorporate hypersaline environments, areas generally neglected in limnological surveys and studies that aim to describe and understand the general pattern of the zooplankton community. The hypothesis followed throughout the research is that the richness and abundance of zooplankton species decreases as salinity increases. With the linear regressions performed between the components of diversity and the salinity gradient, they presented inversely proportional relations, i.e., diversity decreases with increasing salinity; however, it is worth noting that for the taxonomic distinction, lower values mean greater diversity, i.e., the more distinct the phylogenetic relations in the community, consequently there will be greater biodiversity. The taxonomic diversity index is a more adequate tool for the evaluation of hypersaline ecosystems, which does not corroborate the study hypothesis. Finally, this research provided important information on the factors that control the richness and zooplankton distribution in space and time and can assist in the actions and conservation strategies of these ecosystems.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10633
Other Identifiers: 20180060174
Appears in Collections:CERES - Geografia (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DistribuiçãoEspacialeTemporal_FerreiraNeto_2019.pdf1.25 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons