Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10625
Title: Ter maior sensibilidade interoceptiva afeta na velocidade de corrida em exercício autosselecionado?
Other Titles: Does higher interoceptive sensitivity affect the race speed in self-selected exercise?
Authors: Lima, Mayra Nascimento Matias de
Keywords: Sensibilidade Interoceptiva;Percepção Interna;Adolescentes;Intensidade Autosselecionada;Ansiedade;Depressão
Issue Date: 6-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LIMA, Mayra Nascimento Matias de. Ter maior sensibilidade interoceptiva afeta na velocidade de corrida em exercício autosselecionado? 2019. 35 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: O presente estudo verificou a relação entre a sensibilidade interoceptiva com a velocidade de execução do exercício autosselecionado em adolescentes fisicamente inativos. Participaram 45 adolescentes (15,55 ± 0,78 anos) que foram submetidos à avaliação antropométrica, avaliação do nível maturacional e nível de estresse, ansiedade e depressão. A medida subjetiva de sensibilidade interoceptiva foi verificada através do questionário de percepção (Porges, 1993), onde é avaliado o autorrelato relacionando as sensações corporais percebidas. Por fim, os participantes realizaram um teste de corrida com instrução livre durante 10 minutos, em intensidade autosselecionada. A normalidade dos dados foi testada pelo teste Shapiro-Wilk, assimetria e curtose. A correlação de Spearman foi utilizada para verificar a correlação do exercício autosselecionado e nível de sensibilidade interoceptiva. O coeficiente de correlação seguiu as recomendações de Cohen (1988), sendo considerado ≤ 0,10 uma correlação fraca, 0,11 a 0,30 moderada e > 0,30 forte. Todos os dados foram analisados utilizando o programa SPSS® versão 20.0. Os resultados principais evidenciaram que não houve diferença entre os indivíduos com maior sensibilidade interoceptiva e seus homológos. No entanto, quando correlacionado com as variáveis ansiedade e depressão, os indivíduos com SI maior demonstraram uma relação positiva com essas características. Dessa forma, concluímos que não há relação da velocidade de execução do exercício leve, entre adolescentes fisicamente inativos, com a sensibilidade interoceptiva. Porém, a sensibilidade interoceptiva, pode ser relacionada aos níveis de ansiedade e depressão em adolescentes.
Abstract: The present study verified a relationship between interoceptive sensitivity and execution speed of the automatic selection exercise of physically inactive adolescents. Forty-five adolescents (15.55 ± 0.78 years) participated in the study. They underwent anthropometric assessment, maturation level assessment and stress, anxiety and depression. The measure of interoceptive sensitivity was verified through the perception questionnaire (Porges, 1993), where it is automatically evaluated or correlated as perceived corporate sensations. Finally, participants take a free-running 10-minute self-selected intensity running test. Data normality was tested by the Shapiro-Wilk test, asymmetry and kurtosis. Spearman's correlation was used to verify the correlation of the automatic selection exercise and the level of interoceptive sensitivity. The correlation coefficient followed the recommendations of Cohen (1988), being considered ≤ 0.10 a weak correlation, 0.11 to 0.30 moderate and> 0.30 strong. All data were analyzed using the SPSS® version 20.0 program. The main results showed that there was no difference between the individuals with higher interoceptive sensitivity and their counterparts. However, when correlated with variations in anxiety and depression, individuals with IS show a positive relationship with these characteristics. Thus, it can be concluded that there is no relationship between the speed of light exercise performance among physically inactive adolescents with interoceptive sensitivity. However, interoceptive sensitivity may be helpful to anxiety and depression levels in adolescents.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10625
Other Identifiers: 20160127024
Appears in Collections:Educação Física (licenciatura)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Termaiorsensibilidadeinteroceptiva_Lima_2019Texto Completo572.31 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons