Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10612
Title: Fatores de risco para rigidez pós-operatória em reparo artroscópico do manguito rotador
Authors: Serafim, Diego Amorim
Sales, Igor Costa
Avila, Pedro Henrique Braga
Keywords: Manguito Rotador;Rigidez de ombro;Reparo artroscópico
Issue Date: 22-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SERAFIM, Diego Amorim; SALES, Igor Costa; ÁVILA, Pedro Henrique Braga. Fatores de risco para rigidez pós-operatória em reparo artroscópico do manguito rotador. 2019. 19 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) – Departamento de Medicina, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, RN, 2019.
Portuguese Abstract: O reparo artroscópico do manguito rotador é um procedimento comumente empregado para a correção de lesões tendíneas no espaço subacromial, tendo como possível complicação a rigidez de ombro pós operatória. O presente estudo tem o intuito de avaliar quais fatores pré-operatórios são significativos para o desenvolvimento de rigidez pós reparo artroscópico do manguito rotador. Para isso, foram selecionados 83 pacientes submetidos ao reparo artroscópico do manguito rotador, os quais foram avaliados após um período de 4 meses da cirurgia, sendo divididos em grupos com e sem rigidez de ombro. Em seguida, foram avaliadas quais condições pré operatórias tiveram relação com o desenvolvimento de rigidez. Do total de pacientes avaliados 15,7% apresentou rigidez e 84,3% não apresentou rigidez. Considerando todas as variáveis observadas apenas Diabetes Mellitus tipo II (DM2) apresentou significância estatística p<0,05 como fator de risco para desenvolvimento de rigidez. Portanto, desse estudo conclui-se que o paciente portador de DM2, possui até 3,63 vezes mais chance de desenvolver rigidez de ombro pós reparo artroscópico do manguito rotador.
Abstract: Arthroscopic rotator cuff repair is a commonly used procedure for the correction of tendon injuries in the subacromial space, with possible complication of postoperative shoulder stiffness. The present study aims to evaluate which preoperative factors are significant for the development of stiffness after arthroscopic rotator cuff repair. For this purpose, 83 patients who underwent rotator cuff arthroscopic repair were selected and evaluated after 4 months of surgery and divided into groups with shoulder stiffness and without shoulder stiffness . Then, we evaluated which preoperative conditions were related to the development of stiffness. The total of patients evaluated, 15.7% presented stiffness and 84.3% did not present stiffness. Considering all variables observed, only Type II Diabetes Melittus (T2DM2) presented statistical significance p <0.05 as a risk factor for stiffness development. Therefore, this study concludes that the patient with T2DM is up to 3.63 times more likely to develop shoulder stiffness after arthroscopic rotator cuff repair.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10612
Other Identifiers: 2016003384
20170005633
20160156975
Appears in Collections:Medicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fatoresderiscopararigidezposoperatoria_Serafim,Sales,AVila_2019.pdf398.41 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons