Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10500
Title: Análise clínica das crises epilépticas em crianças com microcefalia decorrente da síndrome de infecção congênita pelo vírus Zika
Authors: Bandeira, Hugo Matos
Keywords: Microcefalia;Vírus Zika;Síndrome congênita pelo vírus Zika;Crises epilépticas;Convulsão
Issue Date: 17-Jun-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: BANDEIRA, Hugo Matos. Análise clínica das crises epilépticas em crianças com microcefalia decorrente da síndrome de infecção congênita pelo vírus Zika. 2019. 23 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, 2019.
Portuguese Abstract: Objetivo: realizar análise clínica das crises epilépticas, apresentadas pelos pacientes com microcefalia decorrente da infecção congênita pelo vírus Zika. Métodos: realizamos um estudo descritivo/prospectivo com base em um protocolo padrão, com as principais variáveis analisadas. O diagnóstico das crises epilépticas foi obtido através da descrição dos pais e/ou observação dos pesquisadores e classificadas de acordo com a International League Against Epilepsy. Analisamos a resposta terapêutica aos fármacos utilizados em regime de monoterapia, biterapia e politerapia, considerando resposta terapêutica total, parcial ou refratária de acordo com as manifestações de crises ao final do período de seguimento. Resultados: a população de estudo foi constituída de 27 (49%) crianças que apresentaram crises epilépticas, sendo 24 (89%) com crises epilépticas focais e 13 (48%) com crises generalizadas. Em relação às crises focais, 22 (92%) tiveram crises motoras e as crises focais não motoras foram observadas em 2 (8%) pacientes. Quanto às crises generalizadas: 4 (31%) crianças apresentaram crises tônicas, 11 (85%) espasmos epilépticos, e em 2 (15%) crianças observaram-se ambos os tipos de crise. O tratamento das crises epilépticas com resposta eficaz foi em biterapia com ácido valproico e vigabatrina (11%). Significância: a partir da observação de poucos estudos na literatura acerca da caracterização pormenorizada das crises epilépticas nessa população, sua evolução e resposta aos fármacos antiepilépticos, esse estudo ganha importância para entendimento da história natural dessa patologia e a realização de outros trabalhos que venham a contribuir com o entendimento das manifestações epilépticas nessas crianças.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10500
Other Identifiers: 2015078649
Appears in Collections:Medicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnáliseClínicaDasCrisesEpilépticas_Bandeira_2019
Restricted Access Until 2021-01-01
Submissão à revista "Epilepsia" em andamento.
Texto Completo325.78 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons