Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10381
Title: Nível de atividade física e tempo de tela em adolescentes da rede pública de ensino.
Authors: Pichini, Gabriel Soares
Keywords: Adolescentes; atividade física; tempo de tela.;Adolescents; physical activity; screen time.
Issue Date: 4-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PICHINI, Gabriel Soares. Nível de atividade física e tempo de tela de adolescentes da rede pública de ensino. 2019. 24 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: OBJETIVO: verificar diferença entre o tempo de tela e nível de atividade física de adolescentes de ambos os sexos da rede pública de ensino. MÉTODOS: a amostra foi composta por 118 estudantes do Ensino Médio (escolas públicas), com idade entre 12 e 19 anos, em Natal, RN. O nível de atividade física foi mensurado através do questionário PAQ-A, no qual indica uma escala de “fisicamente ativo” de 1 a 5, e o tempo de tela através de anamnese preenchida por auto relato, sendo analisados os tempos gastos nas redes sociais, TV e videogame. RESULTADOS: houve prevalência de meninos nesse estudo. Os jovens do sexo masculino foram mais ativos fisicamente do que o sexo feminino, indicando uma média de 2.32 (0.68) vs. 2.04 (0.67). Os adolescentes do estudo tiveram tempo de tela bem maior com relação ao adequado para a faixa etária, onde as meninas demonstraram utilizar por mais tempo as redes sociais, enquanto que os meninos, o videogame, computador e televisão. Além disso, 52% dos alunos relataram participar assiduamente da Educação Física, tendo os meninos com maior participação que as meninas. CONCLUSÃO: a utilização das ferramentas tecnológicas no dia a dia dos adolescentes é feita de maneira exagerada,, no qual foge dos parâmetros recomendados e que gera, assim, um nível de atividade física muito baixa. Além disso, a diferença entre os sexos deve ser repensada pelos adolescentes, pelos profissionais do âmbito escolar e principalmente pelo professor de Educação Física.
Abstract: OBJECTIVE: To verify the difference between screen time and physical activity level of adolescents of both sexes from public schools. METHODS: The sample consisted of 118 high school students (public schools), aged 12-19 years, in Natal, RN. The level of physical activity was measured by the PAQ-A questionnaire, which indicates a scale of “physically active” from 1 to 5, and the screen time through anamnesis filled out by self-report, being analyzed the time spent on social networks, TV and video game. RESULTS: There was a prevalence of boys in this study. Young males were more physically active than females, indicating an average of 2.32 (0.68) vs. 2.04 (0.67). The adolescents in the study had much longer screen time compared to the age-appropriate screen, where girls demonstrated to use social networks for a longer time, while boys, video games, computers and television. In addition, 52% of the students reported assiduous participation in Physical Education, with boys with greater participation than girls. CONCLUSION: the use of technological tools in the daily life of adolescents is exaggerated, in which it deviates from the recommended parameters and thus generates a very low level of physical activity. In addition, the difference between the sexes must be rethought by adolescents, school professionals and especially the Physical Education teacher.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10381
Other Identifiers: 2016083760
Appears in Collections:Educação Física (licenciatura)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Nívelatividadefísicatempotela_Pichini_2019.pdfTrabalho Completo348.9 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons