Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10364
Title: Análise estratigráfica da seção Alagoas na região do Campo de Atum, Sub-bacia de Mundaú, Bacia do Ceará, Margem Equatorial Brasileira
Authors: Monteiro, Juliana Cavalcante
Keywords: Bacias rifte;Bacia do Ceará;Análise estratigráfica;Sequências compostas;Evolução tectonoestratigráfica;Rift basins;Ceará basin;Sequence stratigraphic analysis;Composed sequences;Tectonostratigraphic evolution
Issue Date: 12-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MONTEIRO, Juliana Cavalcante. Análise estratigráfica da seção Alagoas na região do Campo de Atum, Sub-bacia de Mundaú, Bacia do Ceará, Margem Equatorial Brasileira. 2019. 67f. TCC (Graduação) - Curso de Geologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Formada a partir dos eventos distensivos responsáveis pela fragmentação do Pangea e consequente geração dos continentes Africano e Sul-americano, a Bacia do Ceará faz parte dos domínios sedimentares relacionados a Margem Equatorial Brasileira. Segmento este, cuja evolução tectonoestrutural foi marcada por estágios complexos e multifásicos referentes a regimes transtrativos e transpressivos, de posterior natureza transformante. À vista disso, trabalhos de caráter tectonoestrutural concentram-se no setor e estudos relativos à estratigrafia de sequências seguem pouco frequentes. Por apresentar divergências tectonoestruturais e estratigráficas a bacia foi compartimentada de oeste para leste nas sub-bacias de PiauíCamocim, Acaraú, Icaraí e Mundaú, sendo a última a melhor estudada devido à importância econômica associada à exploração de hidrocarbonetos. Com auxílio de dados de poços e seções sísmicas 2D, a seção Alagoas, alvo deste estudo, no Campo de Atum, localidade selecionada para o desenvolvimento desta monografia, foi investigada utilizando conceitos da estratigrafia de sequências rifte. Este relatório teve como objetivo principal identificar as sequências deposicionais, suas unidades internas e superfícies cronoestratigráficas limítrofes. O produto gerado foi a delimitação de duas sequências de 2ª ordem, denominadas de sequências Mundaú e Paracuru, subdivididas respectivamente nas sequências internas, M1 a M4, e P1 e P2. Litologicamente, a Sequência Mundaú é representada por litofácies essencialmente siliciclásticas, com frequentes intercalações de folhelhos, arenitos e siltitos. Já, a Sequência Paracuru apresenta, além destas litofácies, camadas carbonáticas que dermarcam as primeiras ingressões marinhas. Na análise 1D, de maior resolução, foram delimitados tratos de sistemas deposicionais transgressivos e regressivos, delineados por apresentarem típicos padrões de empilhamento retrogradacional e progradacional, respectivamente. Já, na análise 2D, de menor resolução, foram identificadas sismofácies, e posicionadas e rastreadas as unidades e superfícies cronoestratigráficas reconhecidas na análise 1D. Este estudo, calcado em modelos aplicados a bacia do tipo rifte, permitiu evidenciar momentos de menor e maior atividade tectônica, que moldaram o cenário tectônico e deposicional da seção Alagoas na área do Campo de Atum, contribuindo para o entendimento da evolução da Margem Equatorial Brasileira.
Abstract: The Ceará Basin, one of the sedimentary domains related to the Brazilian Equatorial Margin, was formed by extensional events responsible for the fragmentation of the supercontinent Pangea and consequently the generation of African and Sul-American continents. The tectono-structural evolution of this segment was marked by complex and multiphase transtrative and transpressive stages, posteriorly evolving into transcurrent. Thus, the previous researches are focused in the tectono-structural evolution of this area, with few studies regarding its Sequence Stratigraphy. Based on tectono-structural and stratigraphic divergences, the Ceará Basin was compartmented, from west to east, in Piauí-Camocin, Acaraú, Icaraí and Mundaú sub-basins. The last basin is the most studied due to its economic importance related to hydrocarbon exploration. With the support of well logging and 2D seismic lines, the Alagoas section, within the Atum Field, object of this study, was investigated using the concepts of Rift Sequence Stratigraphy. The main object of this report is to identify the depositional sequences, its internal unities and its chronostratigraphic limits. The product of this research is the delimitation of two composed sequences, denominated Mundaú and Paracuru. Those sequences were divided in internal sequences M1 to M4 and P1 to P2, respectively. The Mundaú Sequence is composed of lithofacies essentially siliciclastic, with interbedded shales, arenites and silstones. The Paracuru exhibits, besides those facies, carbonate beds marking the first marine ingression. The 1D analysis, with higher resolution, allowed the delimitation of transgressive and regressive depositional systems tracts, identified by typical retrogradational and progradational stacking patterns. The 2D analysis, with lower resolution, allowed the identification of sismofacies and the positioning of unities and chronostratigraphic surfaces. This study, based on rift basin models, highlighted moments with higher and lower tectonic activity, shaping the tectonic and depositional context of Alagoas section, within Atum Field, contributing to the understanding of the Brazilian Equatorial Margin.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10364
Other Identifiers: 20150131490
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monteiro_JC_2019_TCC.pdf12.67 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons