Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10358
Title: Violência obstétrica na percepção de profissionais e instituições de saúde: uma revisão integrativa
Authors: Oliveira, Anny Mayara de Araújo
Keywords: Violência contra mulher;Violência obstétrica;Percepção;Abused women;Obstetric violence;Percepion
Issue Date: 10-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: OLIVEIRA, Anny Mayara de Araújo. Violência obstétrica na percepção de profissionais e instituições de saúde: uma revisão integrativa. Orientadora: Liliane Pereira Braga. 2019. 27 f. Monografia (Especialização) - Curso de Residência Multiprofissional em Saúde Materno-infantil, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Caicó, 2019.
Portuguese Abstract: Este estudo tem objetivou conhecer como os/as profissionais e instituições de saúde percebem a violência obstétrica, levando em consideração a definição do termo na literatura das ciências da saúde, compreendendo suas mudanças históricas e as principais estratégias utilizadas para prevenção e eliminação desta prática. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura realizada nas principais bases dados: Lilacs, Medline/Pubmed e Scopus. Foram selecionados artigos na íntegra e gratuitos, relacionados à temática, classificados como artigos originais e revisões bibliográficas e excluídos editoriais relatos de experiência, teses e dissertações. A amostra final foi composta de 18 artigos, os quais foram agrupados em três categorias, a saber: 1) Caracterização da violência obstétrica; 2) Compreensão dos profissionais e instituições sobre a violência obstétrica; 3) Estratégias de prevenção e minimização da violência obstétrica. Resultados: A maioria dos artigos foi publicado nos anos de 2017 (27,7%) e 2018 (33,3%), sendo 66,6% publicados no idioma português e 50% frutos de estudos com abordagem quantitativa com grau de recomendação moderado. O termo violência obstétrica apesar de ser amplamente discutido pelos grupos de humanização do parto, ainda necessita de conceituação e tipificação em documentos legais, pois a maioria dos profissionais reconhecem que algumas práticas ferem a autonomia feminina, no entanto justificam sua utilização como forma de tornar o parto um evento “seguro”. O empoderamento feminino e o investimento em estrutura física das maternidades e em capacitação, constituem importantes elementos de prevenção e eliminação da violência obstétrica. Conclusão: Por fim, percebemos a necessidade de evidências cientificas fortes sobre a violência obstétrica e suas variações e a necessidade de sensibilização de profissionais e instituições na busca de uma assistência ao parto positiva.
Abstract: This study aims to know how health professionals and institutions perceive obstetric violence, taking into consideration how the term is defined in medical and health sciences literature, understanding its historical changes and the main strategies used to prevent and eliminate it. practice. Methodology: This is an integrative literature review conducted in the main databases Lilacs, Medline / Pubmed and Scopus. Full and free articles were selected related to the theme in question classified as original articles and bibliographic reviews and excluded editorials. and dissertations. Final sample consisted of 18 articles, which were grouped into three categories. Results: Most articles were published in the last two years, being 66.6% published in Portuguese and 50% from quantitative approach studies with moderate recommendation. The term obstetric violence, despite being widely discussed by the groups of humanization of childbirth, still needs conceptualization and typification in legal documents, as most professionals recognize that some practices hurt female autonomy, but justify its use as a way to make I leave a “safe” event. Women's empowerment and investment in maternal physical structure plus training are important elements in preventing and eliminating obstetric violence. Conclusion: In the end, we realized the need for strong scientific evidence on obstetric violence and its variations and the need for sensitization of professionals and institutions in the search for positive delivery care.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10358
Other Identifiers: 20184000684
Appears in Collections:Residência Multiprofissional em Atenção à Saúde Materno-Infantil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VIOLENCIAOBSTETRICA_OLIVEIRA_2019.pdf346.46 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons