Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10306
Title: Fatores associados à utilização de serviços odontológicos no Brasil: análise a partir da Pesquisa Nacional de Saúde 2013.
Authors: Souza, Ava Conceição Oliveira de
Keywords: Saúde bucal;Desigualdades em saúde;Acesso aos serviços de saúde
Issue Date: 20-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUZA, Ava ConceiÇÃo Oliveira de. Fatores associados à utilização de serviços odontológicos no Brasil: análise a partir da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. 2019. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Odontologia) - Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: Devido ao fato de a assistência estatal odontológica refletir historicamente um quadro de intensa exclusão do acesso o governo federal lançou em 2004 a Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB) dentro do contexto do Sistema Único de Saúde (SUS), para assim ampliar o acesso, desenvolver ações de promoção e ofertar serviços mais complexos. Entretanto, atualmente, ainda persistem marcantes iniquidades em relação ao acesso e utilização dos serviços odontológicos no Brasil referente aos aspectos regionais e socioeconômicos. OBJETIVOS: O objetivo do presente trabalho foi analisar a influência de fatores socioeconômicos na desigualdade de utilização de serviços odontológicos na população brasileira. MÉTODO: Estudo de busca de fatores associados, com uso de dados secundários provenientes da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013, que consistiu em um inquérito domiciliar de base populacional, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde. O banco de dados utilizado contém informações sobre 60.202 indivíduos maiores de 18 anos. RESULTADOS: Houve predominância de mulheres com idades entre 40-59 anos, de raça branca, pertencentes às classes B e C, que apresentam 9 a 11 anos de estudo, residentes na região Sudeste e realizam acompanhamento regular de prevenção ou acompanhamento. Percebe-se que pessoas mais jovens, de raça branca, residentes na região sul e pertencentes à classe A e com maior nível de escolaridade apresentam maior prevalência de acompanhamentos regulares e consultas de prevenção. Já a maior prevalência de acompanhamentos irregulares e de ausência de acompanhamento ocorre em indivíduos idosos, raça preto/parda, regiões Norte/Nordeste, e de menor classe econômica e nível de instrução. Foi ainda observado que nenhum indivíduo pertencente à classe A está incluso na categoria “nunca foi ao dentista”. CONCLUSÃO: Os dados da PNS 2013 demonstram ainda um quadro de desigualdade social no acesso a serviços odontológicos reforçando a necessidade de políticas e ações que minimizem essas desigualdades, garantindo acesso aos subgrupos populacionais mais vulneráveis de acordo com as suas necessidades de saúde.
Abstract: INTRODUCTION: Due to the fact that public dental care historically reflects a situation of intense exclusion of access, the federal government launched in 2004 the National Oral Health Policy (PNSB) within the context of the Unified Health System (SUS), for the purpose of expanding access, develop promotional actions and offer more complex services. However, currently, there are still marked inequities in relation to the access and use of dental services in Brazil regarding regional and socioeconomic aspects. OBJECTIVE: The aim of the present study was to analyze the influence of socioeconomic factors on the inequality of use of dental services in the Brazilian population. METHOD: A study of associated factors using secondary data from the National Health Survey (PNS) 2013, which consisted of a population-based household survey conducted by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) in partnership with Ministry of Health. The database contains information on 60,202 individuals over 18 years. RESULTS: There was a predominance of women aged 40-59 years, white, belonging to classes B and C, who have 9 to 11 years of schooling and regular follow-up prevention or follow-up. It is noticed that the regularity and the type of follow-up vary so that they are more regular performing prevention or follow-up consultations to the young, white, residents in the southern region and belonging to class A and with higher educational level. The highest prevalence of irregular follow-ups and lack of follow-up occurs in elderly individuals, black / brown race, North / Northeast, and lower economic class and education level. It was also observed that no individual belonging to class A belongs to the category “never went to the dentist”. CONCLUSION: The 2013 PNS data also show a picture of social inequality in access to dental services, reinforcing the need for policies and actions that minimize these inequalities, ensuring access to the most vulnerable population subgroups according to their health need.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10306
Other Identifiers: 2014079605
Appears in Collections:Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ava_TCC_Final_PosCorrecao.pdf381,06 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons