Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10086
Title: Estudo imunoistoquímico de syndecan-1 em queilite actínica: um estudo piloto
Authors: Lima, Jabes Gennedyr da Cruz
Keywords: Queilite Actínica;Imuno-Histoquímica.;Syndecan-1;Actinic Cheilitis;Immunohistochemistry
Issue Date: 20-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LIMA, Jabes Gennedyr da Cruz. Estudo imunoistoquímico de syndecan-1 em queilite actínica: um estudo piloto. 2019. 70 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Odontologia) - Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: A exposição crônica ao sol e à radiação ultravioleta (UV) desencadeia alterações celulares importantes com consequente desenvolvimento de processos patológicos tanto na pele como no tecido de revestimento labial. Nós lábios leva ao desenvolvimento da Queilite Actínica (QA), uma condição inflamatória importante, classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma desordem potencialmente maligna. OBJETIVO: Analisar a expressão imunoistoquímica de syndecan-1 no epitélio de revestimento das QAs com a finalidade de fornecer subsídios para um melhor entendimento sobre uma possível relação entre essa molécula e o grau de displasia epitelial presente nessas lesões. METODOLOGIA: Estudo retrospectivo, transversal e observacional, na qual foi realizada uma análise imunoistoquímica, descritiva e comparativa, da expressão de syndecan-1 no epitélio de revestimento de QAs. A amostra intencional e não probabilística, a qual foi constituída de 30 casos de QA diagnosticados no Serviço de Estomatologia da UFRN, cujo o material histopatológico encontra-se arquivado no Serviço de Anatomia Patológica do Departamento de Odontologia da UFRN. RESULTADOS: A amostra foi constituída predominantemente por indivíduos do sexo masculino (85,3%), com idade igual ou superior a 40 anos (94,1%), da raça branca (76,5%) e com exposição ocupacional ao sol (85,3%). As características clínicas mais frequentemente encontradas foram mancha branca, perda da demarcação entre o lábio e a pele, ressecamento e descamação. A análise da expressão de Syndecan-1 no epitélio das QAs revelou imunorreatividade da membrana celular para esta proteína em todas as camadas epiteliais, exceto na camada de ceratina. CONCLUSÃO: A expressão de Syndecan-1 nos casos avaliados não apresentou relação com o grau de displasia epitelial.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10086
Other Identifiers: 20150118738
Appears in Collections:Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ESTUDO IMUNOISTOQUÍMICO DE SYNDECAN-1 EM QUEILITE ACTÍNICA.pdfEstudo imunoistoquímico de syndecan-1 em queilite actínica: um estudo piloto1.86 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons