Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10070
Title: Violência obstétrica enquanto expressão da questão social: relação ontológica com a mercantilização da saúde
Authors: Bezerra, Anny Heloisa Palhano de Oliveira
Keywords: Questão social;Mercantilização da saúde;Violência obstétrica
Issue Date: 2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: BEZERRA, Anny Heloisa Palhano de O. Violência obstétrica enquanto expressão da questão social: relação ontológica com a mercantilização da saúde. 2019. 57f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Este trabalho tem como objetivo analisar o fenômeno violência obstétrica sob o viés da precarização e mercantilização da saúde, a partir de dados sociais e econômicos sobre o desenvolvimento societário e os desdobramentos da questão social, revelando reflexões sobre até que ponto essa violência é um problema estrutural da sociedade. O trabalho foi realizado por meio de pesquisa qualitativa e da análise de dados que fundamentam as particularidades e objetividade que muitas vezes passam despercebidas, ou são ignoradas, nessa sociedade marcada pela desigual social, politica, econômica e cultural. Para tanto, a pesquisa se alicerçou no método crítico-dialético por meio das categorias centrais: contradição, historicidade, mediação e totalidade, bem como se valeu da revisão de aspectos históricos da questão social e como esse processo se desdobra diretamente no sistema de saúde, em especial na vida das mulheres e na liberdade que essas têm de tomar suas próprias decisões. Sendo assim, problematiza-se como resultado a violência obstétrica enquanto desdobramento de um sistema capitalista que interfere diretamente na subjetividade e objetividade dos indivíduos, nas suas escolhas e no acesso aos direitos sociais, muitas vezes, transformando as expressões da questão social em objeto de lucratividade. A pesquisa revelou uma série de características do processo de mercantilização, principalmente como um prolongamento da questão social, de modo que a violência obstétrica se torna mais uma de suas tantas consequências.
Abstract: His paper aims to analyze the phenomenon of obstetric violence under the bias of precariousness and commodification of health, from social and economic data on societal development and the unfolding of the social issue, revealing reflections about the extent to which this violence is a structural problem. of society. The work was done through qualitative research and data analysis that underlie the particularities and objectivity that often go unnoticed, or are ignored, in this society marked by social, political, economic and cultural inequality. To this end, the research was based on the critical-dialectical method through the central categories: contradiction, historicity, mediation and totality, as well as reviewing the historical aspects of the social issue and how this process unfolds directly in the health system. especially in women's lives and in their freedom to make their own decisions. Thus, as a result, obstetric violence is problematized as a development of a capitalist system that directly interferes with the subjectivity and objectivity of individuals, their choices and access to social rights, often transforming the expressions of the social issue into an object of profitability. . The research revealed a series of characteristics of the commodification process, mainly as an extension of the social issue, so that obstetric violence becomes one of its many consequences.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/10070
Other Identifiers: 20160135124
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ViolenciaObstetrica_Bezerra_2019.pdf717.23 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons