Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/1/702
Título: Pedra, ferro e sangue: análise histórico-arqueológica dos espaços fortificados holandeses na capitania do Rio Grande do Norte (séc. XVII)
Autor(es): FERREIRA, Jônatas Alves
Palavras-chave: Presença holandesa;Espaços fortificados;Cultura material
Data do documento: 20-Dez-2014
Editor: História
Referência: FERREIRA, Jônatas Alves. Pedra, ferro e sangue: análise histórico-arqueológica dos espaços fortificados holandeses na capitania do Rio Grande do Norte (séc. XVII). 2013. 62f. Monografia (Bacharelado em História) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Abstract: Este trabalho pretende, através de uma abordagem interdisciplinar entre Arqueologia e História, ajudar a preencher lacunas nos estudos destes campos sobre o Rio Grande do Norte. Os espaços fortificados que foram construídos, apropriados e (ou) reformulados pelos holandeses durante sua presença nas capitanias do Norte do Brasil no século XVII, mais especificamente na capitania do Rio Grande (1633 - 1654), foram o objeto de estudo deste trabalho monográfico pelo interesse de se estudar a presença destes no espaço colonial e em função dos vestígios materiais existentes. Para isso buscou-se levantar e sistematizar informações acerca dessas fortificações que pudessem auxiliar na produção de um breve estudo tipológico da engenharia militar colonial do século XVII; na elaboração de um mapa de zonas de potencial arqueológico referentes aos espaços fortificados do qual pudesse ser analisado a distribuição espacial deste sistema de defesa holandês na capitania do Rio Grande; na compreensão acerca da materialidade já referenciada, identificada ou coletada relacionada a estes espaços fortificados, além da cultura material que ainda pode ser identificada através de trabalhos arqueológicos sistemáticos. A metodologia da pesquisa orientou-se em duas perspectivas na coleta de dados empíricos, que se iniciou com a análise bibliográfica e documental, e seguiu posteriormente, com a leitura de relatos etnográficos do século XVII, cartografia e iconografia histórica. Foi percebido que as categorias de espaços fortificados na engenharia militar colonial são bastante variadas, não se resumindo aos fortes e fortalezas litorâneas; que varias destas categorias foram transpostas para o contexto da capitania do Rio Grande durante a presença holandesa no século XVII, a fim de compor um sistema de defesa; que a distribuição espacial destas estruturas seguiram critérios estratégicos e econômicos; que uma quantidade significativa de vestígios materiais relacionados a estas fortificações já foi referenciada e que muito mais ainda poderá ser identificado através de trabalhos arqueológicos sistemáticos nos contextos delimitados.
Descrição: Roberto Airon Silva, Fátima Martins Lopes e Márcia Severina Vasques
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/monografias/handle/1/702
Aparece nas coleções:História (Bacharelado)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Mon. - PEDRA, FERRO E SANGUE.pdf3,7 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.